15 de ago de 2016

Leituras de Agosto

Salvat Vermelha: Nick Fury - com a primeira história da revista "Sargento Fury e o Comando Selvagem", de Stan Lee e Jack Kirby, simplesmente clássica, nota 10! Depois vem a minissérie "Guerreiros Secretos", que embora não seja ruim, acho que o personagem-título merecia a republicação de outro arco de histórias, como a fase do artista Jim Steranko.




Salvat Vermelha - Pantera Negra - As primeiras aparições, pelos sempre ótimos Lee e Kirby na revista do Quarteto fantástico, e depois a saga "Conheça Wakanda e Morra", com a invasão Skrull, com ótimo texto e argumento. Destaque para o ponto de vista do comandante alienígena, cansado da guerra.


 

Eu, Wolverine - bah eu só tinha lido a continuação desta história, mas nunca esta minissérie, que definiu o personagem. Um clássico instantâneo de Claremont e Miller. Imperdível, não pensei que tivesse tanto drama, ação e romance. O filme Wolverine Imortal foi levemente baseado nesta história.





Hulk - Gritos Silenciosos - engraçado como a Panini apenas republica material da fase do Hulk Cinza, e os fãs há tempos pedem a "saga da encruzilhada" e até agora nada. Bom, voltando à edição que aqui comento, lembro de ter lido uma ou outra dessas histórias isoladas, e não achei bom, mas lendo toda a fase publicada aqui, nota-se a qualidade do material, embora muitos não gostem do Hulk inteligente, da fase do Panteão que sucedeu as histórias desta edição, eu gostava muito. Aqui é mostrada a fusão dos Hulks verde e cinza, que inspirou tanto a segunda temporada do desenho de 1998 como tem elementos usados no filme de 2003, a psicologia que inspirou o diretor Ang Lee. Vale a pena, principalmente o capítulo final, com a revelação do pai de Bruce Banner.




Justiceiro - Bem-Vindo de volta, Frank - o começo dos trabalhos de Garth Ennis e Steve Dillon com o personagem. Muito sangue, humor e violência. Eu conhecia a segunda parte da saga, mas não tinha lido as primeiras histórias. Muito bom este material, embora os desenhos de Dillon deem um tom cômico demais às vezes.






















Batman - O Filho do Demônio - meu irmão comprou a edição, que eu já tinha lido em scan, depois negociou comigo, eu terminei de ler e já negociei com outro amigo. Embora seja uma bela edição, bonita (capa dura, letras laminadas, um belo desenho na contracapa) e com uma história com belos desenhos e um elemento importante na saga do Batman, que é o nascimento de Damian, a ação, o roteiro e alguns personagens são clichês, e o traje do herói não me agradam e sei que não iria reler esta história mais uma vez. Portanto, tchau pra ti, heheh.



Coleção DC Eaglemoss - Superman - Homem de Aço - Já comentei brevemente anteriormente estas histórias de John Byrne, numa minissérie que reformulou o personagem em 1986, depois da Crise nas Infinitas Terras. Tem algun momentos bobinhos olhando hoje, mas mesmo assim é uma bela HQ!!



 Mais: uma ótima edição de Tex Gigante:



27 de jul de 2016

Leituras de Julho

     Acabando de ler (UFA!) a edição do Capitão Britânia da Salvat, que é bem comprida e cansativa. Apesar de ser Alan Moore, fica meio estranho de começo lidar com personagens que se desconhece, no meu caso vários desse enredo, no meio de uma história que já vinha sido desenvolvida em edições anteriores (não publicadas no Brasil., acredito, mas depois da metade a leitura flui...




Na coleção da DC, Superman/Batman - Inimigos Públicos é uma leitura dinâmica, com um final diferente da animação de mesmo nome, que é be fiel fora esse detalhe. Muito bom!





E ainda ontem li a edição Demolidor 9, com a histórias das crianças-púrpura, do mesmo roteirista da série regular, Mark Waid, e em seguida uma ótima história de Lee Weeks (reconheci os desenhos e lembrei da época da "Queda do Rei do Crime", na saudosa revista Superaventuras Marvel). Digna de um filme ou episódio para o seriado. Demolidor tentando recuperar o coração a ser doado para cirurgia de uma menina à beira da morte.





Salvat Vermelha: Justiceiro - a primeira e já manjada (publicada várias vezes) estreia do personagem na revista do Homem-Aranha e depois a ótima minissérie Círculo de Sangue, publicada em Superaventuras Marvel e numa edição especial há muitos anos. Essa última é um clássico de ação!!!



 

20 de jul de 2016

Joe Jusko

    Ilustrador americano, Joe Jusko é famoso por sua arte realista com tema de fantasia, inclusive em cards e capas de gibis de super-heróis, como em algumas pinturas abaixo. Simplesmente fantástico!!!










ESSE É JOE JUSKO (fonte: Wikipédia)







18 de jul de 2016

Atualizando

       Depois de passar mais de um  mês sem postar, uma vez que o ritmo de leitura caiu um pouco, cá estou para atualizar algum possível leitor do que ando lendo em quadrinhos. O projeto  de incentivo com palestras nas escolas está parado este ano como já mencionei antes devido aos meus 3 turnos de trabalho e novas funções. Mas vamos lá:

Graphic MSP - Louco e Turma da Mata: A primeira está mais para um livro infantil do que para quadrinhos. Muitas legendas de pensamento e pouco balão de diálogo. Cheio de homenagens e referências à turma da Mônica, tem um tom mais poético do que de costume na coleção. Já a edição com Jotalhão e Cia.é um deleite para quem gosta de aventura e super-heróis. Ação sem parar, drama e um roteiro fenomenal, arrisco dizer que é a melhor da coleção até agora, com seu estilo diferente das demais, claro. 






















Monstro do Pântano - Regênese - O discípulo de Alan Moore, Rick Veitch, assume o título depois da coleção que saiu em "A Saga..." e não faz feio, as histórias continuam belíssimas e interessantes, com texto reflexivo e por vezes, poético.




Salvat Vermelha  22 e 23:

Professor X - o primeiro confronto com o Rei das Sombras e a Saga da Ilha Muir - a primeira é um clássico inquestionável, mas a segunda desaparece da lembrança assim que se fecha o livro, assim como muitas dessa fase desenhada por Jim Lee nos anos 90, muito visual e pouco sentimento.




Defensores: eu já tinha essas histórias na revista Marvel Apresenta e odiava. Continuo odiando porque gastei de novo com isso. tem um ou outro momento engraçadinho, mas queria mesmo era ler a fase clássica dos Defensores, pô! Com desenhos do Sal Buscema e tal, embora também não fossem histórias tão boas. Surfista mal participa da história, faz apenas uma aparição cômica por capítulo.








O Grupo do facebook Colecionadores de HQ continua proporcionando, de tempos em tempos, um leilão com peças raras de colecionador. Sob a coordenação de Renato Frigo, está fazendo um sucesso e boas disputas, das quais participei. Perdi a disputa pela Minissérie Silver Surfer/Warlock: Ressurection, que eu queria muito, bem como a série do Warlock (esta estava muito cara pra mim). Mas acabei conseguindo alguns pôsteres legais de banca, bem como uma revista-pôster do Quarteto Fantástico e Surfista Prateado importada. Fotos? Claro!















Ah, e claro, meu LP importado e CD do Joe Satriani - Surfing With The Alien, com ilustração do John Byrne:



26 de mai de 2016

Leituras de Maio e gibis novos:


Diminuição drástica no ritmo de leitura, mas vamos lá:

Salvat - Namor, O Príncipe Submarino - com o primeiro arco da fase de John Byrne, que embora não seja ruim, não tem nada de fantástico. Eu preferia ter lido material original dos primórdios do personagem.






 


 
















Salvat - Valquíria: com o 1º arco das Destemidas Defensoras (publicado pela Panini em encadernados como "Defensores Sem Medo"). Não achei ruim, mas não acrescenta nada. A edição peca por não trazer histórias antigas, como eram o anunciado pela coleção.



Universo Marvel 31 - estou comprando apenas pelas histórias do Surfista Prateado, pois as outras séries não têm nenhum atrativo a mais. 





Doações das amigas Marisnela e Caroline (e seu filho Heitor):